Portais da Cidade

Notcias na 25 de maro

Listando: 1 5 de 1473
Startup cria gerador de energia eólica sem hélice; veja como funciona

Desenvolvedores alegam que alternativa é mais barata e silenciosa


Invenção dispensa o uso de pás
Foto: © Vortex Bladeless

A startup espanhola Vortex Bladeless criou um gerador de energia eólica um tanto quanto inusitado: em vez de um grande "ventilador" branco, como a maioria do que estamos acostumados, trata-se de um cilindro sem nenhuma hélice acoplada.

Chamado de Vórtez, o aparelho funciona verticalmente, balançando na medida em que o vento passa. Com as vibrações geradas pelo movimento, tem-se a produção de energia.

Segundo a empresa, os primeiros testes do aparato mostraram uma geração de energia 30% mais barata que os aerogeradores com hélice, devido aos baixos custos de instalação e manutenção.

A desenvolvedora também afirma que a tecnologia é capaz de aproveitar localizações em que a geração de vento é menor; normalmente, os geradores convencionais precisam de uma velocidade mínima para conseguir gerar energia.

Além disso, as turbinas sem pá são supostamente mais silenciosas e não ameaçam a vida dos pássaros que voam pela região. A startup afirmou que100 protótipos pré-comerciais, com 85 centímetros de altura cada, já estão sendo testados em diferentes localidades.

(Fonte: Laura Intrieri Redação Byte) - 27/01/2023
Prefeitura de SP quer retomar reconhecimento facial da população

Videomonitoramento vai investir R$ 70 milhões por ano para integrar mais de 20 mil câmeras até 2024; iniciativa esbarra em questões racistas


Smart Sampa afirma obter mais eficácia e agilidade no atendimento de ocorrências de segurança em São Paulo
Foto: Freepik

A licitação para a contratação da nova plataforma de videomonitoramento em São Paulo será retomada, segundo anunciou o prefeito da cidade de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB). Mas o relançamento somente será possível quando a prefeitura responder a questionamentos feitos no Tribunal de Contas do Município.

"Se o tribunal de contas liberar, eu solto amanhã", disse o prefeito em entrevista à Folha de S. Paulo publicada na última sexta-feira (13).

Smart Sampa
A iniciativa, conhecida por Smart Sampa, pretende modernizar e ampliar o monitoramento de câmeras na capital. Ele traz o conceito de cidades inteligentes e afirma obter mais eficácia e agilidade no atendimento de ocorrências da Guarda Civil Metropolitana e demais órgãos de segurança.

O pregão era previsto para 5 de dezembro passado, mas foi suspenso pela gestão do município para rever pontos criticados em função de viés racista na tecnologia e em termos utilizados na versão original do texto, como a identificação de "vadiagem" e "cor", este substituído por "estrutura corporal".

A contratação de um sistema de inteligência para reconhecimento facial e a integração de serviços públicos, o que exigiria o compartilhamento de dados de cidadãos, também foram motivos de contestação.

A Smart Sampa tem previsão de integrar mais de 20 mil câmeras até 2024 e prevê investimento de R$ 70 milhões por ano.

As vantagens
Com a tecnologia, a administração municipal espera alcançar um monitoramento mais inteligente e especializado pelo uso de analíse de dados.

Órgãos de segurança promoverão a filtragem instantânea de imagens de ocorrências. Com recursos de identificação facial e detecção de movimento, as câmeras reconhecerão atitudes suspeitas, pessoas procuradas, placas de veículos e objetos perdidos.

Os órgãos de segurança terão como monitorar escolas, UBS e demais equipamentos públicos, o que aumentaria a segurança desses locais.

Outra facilidade que a plataforma deve oferecer é a integração de serviços municipais, como CET, SAMU, Defesa Civil e GCM, com a criação de uma Central de Monitoramento Integrada.

Os entraves
Em reportagem do Estadão em dezembro, especialistas em direito digital e organizações defenderam o banimento da tecnologia, assim como ocorreu em cidades norte-americanas, e avaliam que o edital dava margem para uma judicialização.

Também há aqueles que defendem a aplicação responsável da biometria facial, chamam as críticas de "ludismo", isto é, de resistência à inovação sem justificativas. Essas pessoas acreditaam que deve haver o aprimoramento e não a suspensão do recurso em caso de eventuais problemas.

Já o TCM disse ter seis representações contra o projeto no tribunal, sob a relatoria do conselheiro Roberto Braguim. Entre elas está a anunciada pela deputada federal Erika Hilton (PSOL), então vereadora de São Paulo, sobre o risco de que a tecnologia do Smart Sampa se juntasse a outras violências praticadas contra pessoas negras.

Existe ainda a alegação de que o Smart Sampa não é um bem ou serviço comum, o que impediria a contratação por meio de pregão eletrônico.

As representações também questionam a falta de delimitação do objeto e um direcionamento para encontrar empresas que já prestem serviços baseadas na lei europeia de proteção de dados sem especificar os critérios sobre isso.

A questão da LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) está entre os pontos de análise, já que os cidadãos monitorados não teriam meios de consentir a cada ação.

(Fonte: Andrea Campos Redação Byte) - 27/01/2023
Cientistas testam remédio para tosse como tratamento contra Parkinson

Um remédio para tosse chamado ambroxol pode aumentar os níveis de uma proteína conhecida como GCase (glucocerebrosidase), e será testado contra Parkinson

Pesquisadores da University College London (UCL) planejam testar um remédio para tosse como tratamento para a doença de Parkinson. Trata-se do ambroxol, destinado a conter doenças respiratórias e eliminar o muco. O medicamento também é conhecido por suas propriedades anti-inflamatórias. A ideia é que o estudo sobre eficácia comece ainda neste primeiro semestre de 2023.

Anteriormente, os pesquisadores testaram o ambroxol em pessoas com Parkinson e descobriram que o medicamento pode atingir o cérebro e aumentar os níveis de uma proteína conhecida como GCase (glucocerebrosidase), que permite que as células removam proteínas residuais. Esse estudo mostrou que o ambroxol era seguro para pacientes diagnosticados com Parkinson.

Essa próxima fase deve contemplar 330 pessoas com Parkinson, que tomarão ambroxol durante dois anos. A eficácia do medicamento será medida por sua capacidade de retardar a progressão da doença usando uma escala que inclui qualidade de vida e movimento.


Foto: twenty20photos/Envato / Canaltech

"Esta será a primeira vez que um medicamento aplicado especificamente a uma causa genética da doença de Parkinson atinge esse nível de teste e representa dez anos de trabalho extenso e detalhado em laboratório", afirmam os pesquisadores.

Ciência contra Parkinson
Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 1% da população mundial a partir dos 65 anos sofre com a doença. No Brasil, a estimativa é de 200 mil pessoas com Parkinson. Enquanto isso, o Ministério da Saúde, considera como a segunda doença neurodegenerativa progressiva mais frequente no mundo, perdendo apenas para o Alzheimer.

Há muito a ciência vem buscando métodos para identificar e tratar a condição. Um estudo da USP já destacou a descoberta de uma nova substância que pode evitar a evolução da doença: trata-se de uma substância baseada em tirosina — um aminoácido que pode ser produzido naturalmente pelo organismo ou ser ingerido através de alimentos e suplementos — e age diretamente no TRPM2, um dos canais de entrada de cálcio nas células cerebrais.

Anteriormente, pesquisadores chineses inventaram um novo dispositivo capaz de simular um nariz eletrônico e rastrear casos da doença de Parkinson através do cheiro dos pacientes, de forma precoce. A ferramenta ainda está em fase de aprimoramento, mas os resultados iniciais são promissores, segundo a equipe.

(Fonte: Nathan Vieira Canaltech UCL News) - 18/01/2023
Sony Walkman com Android 12 tem bateria para ouvir música o dia inteiro

NW-A306 e NW-ZX707 são os novos reprodutores de música da família Sony Walkman; gadgets contam com Wi-Fi para fazer streaming de músicas pelo Spotify, Deezer e mais

Com a evolução dos celulares e smartwatches, aparelhos como iPod e o popular MP3 perderam o sentido. Mas a Sony pensa diferente: nesta quinta-feira (12), a marca japonesa apresentou dois reprodutores de mídias da linha Walkman com Android 12, o NW-A306 e o NW-ZX707. A dupla oferece bateria de longa duração e suporte a apps de streaming, como o Spotify, YouTube, Apple Music e outros.


Sony Walkman NW-ZX707 Foto: Divulgação/Sony / Tecnoblog

A estreia dá um refresco à marca Walkman, que chegou até a aparecer nos discmans da Sony (ai, minha coluna).

Comecemos pelo modelo mais simples e mais acessível, o NW-A306. O grande destaque do lançamento fica pela bateria que promete até 36 horas de reprodução de músicas - ou seja, um dia e meio.

O lançamento segue o mesmo design de um smartphone, com o formato em barra, e pesa 113 gramas. Todavia, a tela mede 3,6 polegadas, quase a metade do display do iPhone 14 e Galaxy S22.

Além disso, o player de música traz vários botões na lateral para controlar tanto o volume quanto a reprodução de músicas sem depender apenas do display.

O armazenamento pode ser de 32 GB ou 64 GB, a depender da escolha do consumidor. Este espaço pode ser ocupado tanto por músicas guardadas em apps de streaming quanto por arquivos em MP3, M4A e demais formatos.

Para a alegria dos audiófilos, o player também reproduz músicas com a qualidade de CD e sem perda de definição.

Para se conectar à internet, o dispositivo traz Wi-Fi 5 com suporte às bandas de 2,4 GHz e 5 GHz. O lançamento ainda conta com Bluetooth 5.0 com suporte aos seguintes códigos: SBC, AAC, LDAC, aptX e aptX HD.


Sony Walkman NW-A306
Foto: Divulgação/Sony / Tecnoblog

Sony Walkman NW-ZX707 traz tela maior
A Sony também revelou um modelo para quem busca algo mais rebuscado: o Walkman NW-ZX707.

Com tela maior, de 5 polegadas, o lançamento segue a mesma proposta. Mas a bateria oferece uma duração menor, de até 25 horas, ao ouvir músicas.

Assim como o NW-A306, a carga dura menos tempo ao ouvir músicas com mais qualidade.

Outra semelhança fica pela presença do amplificador S-Master HX, que ajuda a deixar o som mais limpo sem ruidos e distorções. Mas você também pode usar o Spotify, Deezer, Apple Music e outros apps graças ao Android 12.

https://www.youtube.com/watch?v=nvIL9xhhNwY
Preço e disponibilidade
No Japão, o NW-A306 chegará às lojas com preços a partir de 46.000 ienes, o equivalente a cerca de R$ 1.830 em conversão direta. Este modelo, cabe ressaltar, será comercializado na Europa.

O NW-ZX707 será exclusivo para o Japão. Neste caso, o player vai custar 104.000 ienes (R$ 4.145).

Não há previsão de lançamento dos dispositivos no Brasil.

Conheça inteligência artificial que atuará como advogada em caso nos EUA

IA é da DoNotPay, que negocia dívidas e cancela assinaturas; fundador da empresa afirmou que isso está "tecnicamente dentro das regras"


Normalmente, o uso de um aparelho assim nos ouvidos seria considerado ilegal na maioria dos países
Foto: Pixabay

Pela primeira vez, a inteligência artificial será usada para advogar a favor de um réu em um tribunal. No julgamento, que acontecerá nos EUA em fevereiro, a IA ouvirá todo o discurso por meio de um celular e depois aconselhará o réu sobre o que dizer pelo fone de ouvido, de acordo com publicação do New Scientist.

A localização do tribunal e o nome do réu estão sendo mantidos em sigilo pela empresa que criou a IA, a DoNotPay. Apesar de já desempenhar outras funções, o objetivo primordial da empresa era criar um “robô-advogado”. O réu que estará no tribunal irá contestar uma multa recebida por excesso de velocidade.

A assistência jurídica prestada pela ferramenta é baseada em um banco de dados de casos semelhantes. Assim, está preparada para não só preparar a defesa, mas também responder a diferentes questões que podem ser levantadas pela acusação. O algoritmo cobra uma taxa mais barata que um advogado humano.


O algoritmo cobra uma taxa mais barata que um advogado humano
Foto: Pixabay

Normalmente, o uso de um aparelho assim nos ouvidos seria considerado ilegal na maioria dos países, mas a DoNotPay achou uma brecha na legislação em que ele pode ser considerado um “aparelho auditivo” e assim, permitido.

O fundador da empresa, Joshua Browder, afirmou: “Está tecnicamente dentro das regras, mas não acho que esteja dentro do espírito das regras”.

Browder defende que demorou muito para treinar a IA, com uma vasta quantidade de jurisprudência necessária para torná-la útil. Tópicos sobre a lei de imigração, por exemplo, antes ausentes, agora já estão incluídos no app. A empresa diz ter participado de cerca de 3 milhões de casos nos EUA e no Reino Unido.

A tecnologia por trás dessa IA é o sistema GPT-3, conjunto de ferramentas que usa a aprendizagem de máquina para gerar respostas detalhadas em forma de texto. Ele foi desenvolvido originalmente pela OpenAI.

Outras aplicações
A IA da DoNotPay surgiu em 2015 e já é conhecida por negociar dívidas e cancelar assinaturas, evitando que o cliente passe horas no telefone. Ela é capaz de conversar por bate-papo ao vivo ou e-mail, interagindo como se fosse o próprio usuário.

Em uma demonstração postada no Twitter, ela solicitou uma taxa melhor para um serviço de internet, em um chat ao vivo da empresa. No final da conversa, ela consegue um desconto de US$ 10 (aproximadamente R$ 5,30).

(Fonte: Ivana Fontes Redação Byte) - 09/01/2023
Listando: 5 de 1473

Anuncie

Sobre o Portal da 25 de Março

O Portal da 25 de Março foi lançado em 01 de janeiro de 2002, tendo como objetivo principal a divulgação de empresas e produtos comercializados na região da rua Santa Ifigênia no centro da cidade de São Paulo, focando-se principalmente em produtos voltados para a área doméstica em geral.